Linha 4

Publicidade

Homem morto é levado para fazer prova de vida em agência bancária

Redação Tarobá News

Pixabay

O cadáver de um homem morto aos 92 anos foi levado a uma agência do Banco do Brasil em Campinas, São Paulo, para a realização da prova de vida. O objetivo da mulher que conduziu o cadáver em uma cadeira de rodas era fazer o saque da aposentadoria dele. 

O caso aconteceu no dia 2 de outubro. A fraude foi descoberta após a mulher afirmar a funcionários do banco que o idoso estava passando mal e pedir atendimento prioritário. 

O Corpo de Bombeiros foi acionado para atender a suposta vítima, que já havia morrido há cerca de 12 horas. A Guarda Municipal e Polícia Militar foram acionadas, e a mulher foi conduzida à delegacia. 

O corpo do homem, que era um escrivão viúvo, foi enterrado no dia seguinte. A mulher alegou que era companheira dele, mas não conseguiu conseguiu provar a existência da relação. 

COMENTÁRIOS

Publicidade